Histórico

“As lembranças são como elos, estão ligadas umas às outras…” declara Socorro Tavares, ex-aluna e atual coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental II da Lourdinas, em sua colaboração para o Jubileu Áureo da Escola, carinhosamente relatado no livro “É Hora de Festejar!” escrito pelo também ex-aluno Russ Howel.

E, atando estas lembranças, uma a uma, feito colcha de retalhos, feito contas de colar, vamos formando esse imenso rosário de recordações, no qual, cada conta é um marco, cada marco, um novo passo, cada passo uma vitória construída por incessante trabalho e alimentado pelas bênçãos da Virgem Puríssima, Maria Mãe de Jesus.

As sementes - Diz-se que a semente dorme no segredo da terra, para que através do seu sacrifício de entrega, possamos, mais tarde, saborear seus frutos. E, como semente, em seu segredo, Maria se entregou à graça plena de trazer à luz o filho de Deus.

Muitos anos mais tarde, na manhã de 11 de fevereiro de 1858, há exatos 145 anos, outra semente foi lançada em Lourdes, na França. A jovem Bernadete viu, no alto da gruta de Massabielle, a primeira aparição da Virgem Imaculada. E da gruta jorrou a fonte, da fonte jorraram milagres, dos milagres: a devoção. A cada dia, Bernadete sentia a sementinha criando raízes, crescendo dentro de si, se tornando vocação.

Foi assim com Maria, foi assim com Bernadete, assim também aconteceu com Eugénie Ducombs, consagrada como Madre Maria de Jesus Crucificado e fundadora da Congregação das Irmãs da Imaculada Conceição de Nossa Senhora de Lourdes, em 15 de dezembro de 1863, Garaison.

Os frutos - A semente, que tinha encontrado em Eugénie terra fértil, venceu pedregulhos, desviou riachos, virou árvore, frutificou. Seus frutos se espalharam por vários países. Em 12 de outubro de 1908, sua sombra chega ao Brasil. E no dia 11 de feveireiro de 1953, precisamente, a semente Lourdina é lançada na Serra da Borborema. Mais uma árvore, mais frutos. E até hoje, de lá do alto Jardim Tavares, podemos ver suas flores e seus frutos se esparranado pela cidade, nos ensinando a lição da entrega, da solidariedade, da educação, num crescer constante. Graças às suas raízes bem alicerçadas, graças ao poder de sua seiva Imaculada, a árvore Família Lourdinas vai aumentando sua sombra… sussurando discretamente, que é preciso sempre reflorescer. Ave Mãe Puríssima, Ave Lourdes, Avante Lourdinas!